Emasa apresenta projeto de despoluição e revitalização do Rio Marambaia

O projeto faz parte das propostas do prefeito Fabrício Oliveira, que tem como objetivo despoluir o Canal Marambaia.

Foto: Kattiúcia Villain

A Empresa Municipal de Águas e Saneamento (EMASA) realizou na tarde desta quarta-feira (3), uma reunião de trabalho para apresentar o Projeto Águas Limpas de revitalização do Rio Marambaia. O encontro contou com a participação de especialistas e técnicos da EMASA, das Secretarias Municipais de Planejamento Urbano e Meio Ambiente e do Grupo Marambaia.

De acordo com o diretor geral da Emasa, Carlos Haacke, o projeto faz parte das propostas do prefeito Fabrício Oliveira, que tem como objetivo despoluir o Canal Marambaia. “O prefeito quer além de revitalizar o Rio Marambaia, também despoluir outros córregos da cidade. Estamos trabalhando e planejando para que isso seja realizado”, comentou.

O projeto visa proporcionar condições adequadas de qualidade da água, reduzir a geração de esgotos, evitar o lançamento de esgotos sanitários, mediar os danos causados ao meio ambiente e valorizar os elementos de integração à paisagem urbana.

Ações indiretas para revitalização dos 850 metros do Canal foram apresentadas, como programas de educação ambiental, comunicação e mobilização social, fiscalizações, e revitalização da cobertura vegetal. E também ações diretas como obras de finalização e correção de redes de esgoto, estudos hidráulicos e hidrológicos, monitoramento ambiental, remoção de resíduos, lodo e areia, estudo de pré-sedimentação, aplicação de técnicas de biorremediação, tratamento de água e urbanização do Parque Linear.

Segundo o consultor da EMASA, Cesar Arenhart, o projeto terá quatro fases que iniciam ainda este mês. “A primeira fase consiste na remoção mecânica de lodo e areia, ao longo do curso da água, aplicação de biorremediador, que vai melhorar a qualidade da água sem causar danos ao meio ambiente e a implantação de Sistema de Oxigenação Complementar (SOCs), com previsão de execução de maio a outubro deste ano”, explicou.

Na fase 2, com previsão de início em novembro, será feito um monitoramento da água do Canal. Na terceira etapa, prevista para o segundo semestre de 2018, será feita a avaliação de desempenho da água e por fim até 2020 a implantação do Parque Linear do Marambaia.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA