Entrega do Centro de Eventos de Balneário Camboriú está mantido para novembro

Secretário de Turismo do Estado, Leonel Pavan fez mais uma visita de inspeção a obra que já esta com 57,5% concluída

Mantendo o compromisso de acompanhar pessoalmente a execução dos trabalhos de construção do Centro de Eventos de Balneário Camboriú, desde que tomou posse em janeiro, o secretário de Estado do Turismo, Esporte e Cultura Leonel Pavan fez mais uma visita de inspeção a obra durante este final de semana e manteve o mês de novembro deste ano como prazo para a entrega da construção.

“Logo ao assumir, pedi reforço na mão–de-obra para acelerar o andamento dos serviços. A finalização do centro de eventos é uma das prioridades de nossa gestão e uma obra estratégica para fomentar a movimentação econômica do turismo local e regional devido sua capacidade de realizar eventos de médio e grande porte simultaneamente”, disse o secretário.

Secretário Leonel Pavan inspeciona obras que começam a entrar na fase de acabamento. (Divulgação).

Pavan também manteve reunião com a arquiteta Ana Mara Matter, da empresa Salver e responsável por parte da obra. Segundo ela, estão em fase de conclusão os serviços de implantação das estruturas metálicas e iniciando os de acabamento como pisos, pintura, revestimentos de paredes, sistema de aeração, divisórias, entre outros.

A obra já esta com 57,5% concluída e a expectativa é que avance para 67,5% ao final deste mês de maio. O projeto contempla pavilhão de exposições, espaço para lojas, praça de alimentação e serviços.

Possui 1.083 vagas de estacionamento e sistema de divisórias internas que prevê uma sala de convenções de 3.200 m2 para até 3.200 pessoas ou sua divisão em duas para 1.600 pessoas e ainda a subdivisão do espaço total em até 28 salas para convenções quando da realização de eventos simultâneos.

No total, serão 33 mil metros quadrados e entre área interna e externa, o local pode receber até 20 mil pessoas em circulação, segundo a arquiteta. A construção contará ainda com o sistema de “insuflamento de ar natural”, captado por meio de calhas especiais e que permite fachadas ventiladas e arejamento natural interno, reduzindo investimentos no sistema de climatização.

Os governos federal, estadual e municipal já investiram mais de R$ 43 milhões nas obras orçadas em R$ 89.647.405,80 (sem aditivos).

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA