“A população ainda não se deu conta do impacto que a Reforma Trabalhista gerará nos direitos e no salário do trabalhador”, afirma Décio Lima

Líder da Oposição no Congresso Nacional, Décio votou contra o PL 6787/16

O deputado federal Décio Lima votou contra o projeto de lei da reforma trabalhista (PL 6787/16, do Poder Executivo), ontem (26), no Plenário da Câmara dos Deputados. O deputado junto com os partidos de Oposição ao governo Temer (PMDB/PSDB) tentaram por 16 horas barrar a votação da reforma. A proposta foi aprovada por 296 votos a favor e 177 contra. A matéria será enviada ao Senado.

Na avaliação do deputado a reforma da legislação trabalhista desprotege os trabalhadores, retirando deles direitos adquiridos na Consolidação das Leis do Trabalho (CLT). Segundo ele, o principal impacto é a instabilidade que a lei gerará ao trabalhador. Entre as mudanças aprovadas estão o fim da hora extra, redução do horário de almoço, fim da Justiça do Trabalho e o término do piso salarial da categoria, entre outros.

“A reforma levará a demissões e a recontratações com menos direitos”, disse. Outro ponto aprovado é regulamentação do trabalho intermitente. Segundo o deputado a regulamentação do trabalho intermitente é a legalização do bico’. “Nesta relação o trabalhador tem que ficar à disposição até que o empregador decida que precise dele. É pior que o desemprego na medida que gera quase uma relação de escravidão”,avaliou.

O deputado afirma que a pressão continuará nas ruas com a greve geral amanhã (28) e junto aos senadores para que a Reforma Trabalhista não seja sancionada como lei. “Amanhã vamos dizer nas ruas que o trabalhador é contra a Reforma Trabalhista e o fim da aposentadoria”, avaliou.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA