A informação chega primeiro aqui!

Terça-feira, 28 de Novembro de 2023

Notícias Geral

Finalistas do Prêmio Nacional de Inovação têm a marca da Fapesc

Em 2023, o estado apresenta oito finalistas concorrendo a 12 troféus

Finalistas do Prêmio Nacional de Inovação têm a marca da Fapesc
Milena Nandi / Fapesc
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

Santa Catarina, mais uma vez, tem o seu potencial inovador e criativo reconhecido. Em 2023, o estado apresenta oito finalistas concorrendo a 12 troféus do Prêmio Nacional de Inovação. Os vencedores serão revelados nesta terça-feira (26), a partir das 19h, em solenidade em São Paulo.

O prêmio reconhece as melhores práticas de inovação do Brasil. Entre os representantes do Estado na final, há empresas que já foram contempladas pelos programas da Fundação de Amparo à Pesquisa e Inovação do Estado de Santa Catarina (Fapesc) e que receberam fomento para o desenvolvimento de projetos de pesquisa na área de inovação, mostrando a importância dos programas do Governo do Estado no apoio ao Ecossistema de Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI).

Fomento importante para o desenvolvimento - O presidente da Fapesc, Fábio Wagner Pinto, ressalta a importância da presença catarinense na final do Prêmio Nacional de Inovação. Ele reitera que, das seis empresas que chegaram à última etapa da competição, cinco já receberam fomento da Fapesc. “É muito relevante a presença em massa das nossas empresas, pesquisadores e do próprio ecossistema neste prêmio. É um reconhecimento do valor do investimento do Governo de Santa Catarina na promoção de ciência, tecnologia e inovação no estado”, afirma.

Pela primeira vez como finalista, na categoria Médias Empresas, a Kemia Tratamento de Efluentes está entre as startups beneficiadas por programas e premiações da Fapesc, como o Tecnova e o Prêmio Inovação Catarinense Caspar Erich Stemmer. Segundo o diretor da Kemia, Rafael Celuppi, o apoio da Fapesc foi fundamental para o desenvolvimento e crescimento da empresa. “A Fapesc é muito importante em todo o âmbito de pesquisa e da inovação que tivemos. Inclusive para sairmos de produtos considerados tradicionais para sistemas mais modernos e ter soluções diferenciadas”.

Para Celuppi, estar na final reconhece os esforços de toda a equipe e das empresas e instituições que, ao longo da trajetória, acreditaram na Kemia. “Inovação não se faz sozinho e estar entre os finalistas valida tudo o que estamos fazendo: pesquisa, engajamento com universidades, empresas, órgãos de fomento como a Fapesc e o ecossistema, além do trabalho interno pela cultura da inovação. Isso também destaca os diferenciais competitivos que buscamos ao pensar soluções para o tratamento da água, efluentes e reuso da água”, afirma Celuppi.

Também na categoria Médias Empresas, a Nanovetores, de Florianópolis, é outra iniciativa que conta com a Fapesc em sua trajetória. Criada pela pesquisadora e empreendedora Betina Giehl Zanetti Ramos, a Nanovetores foi pioneira no Brasil no uso de nanotecnologia para encapsulação de ativos cosméticos. A empresa, que agrega conhecimentos farmacêuticos, tecnologia e inovação, hoje exporta para 49 países.

Em âmbito estadual, a Nanovetores venceu diferentes categorias do Prêmio Inovação Catarinense Caspar Erich Stemmer, promovido pela Fapesc. Em 2010, venceu na categoria Empresa Inovadora de Micro e Pequeno Porte. em 2021, Betina foi vencedora na categoria Agente de Inovação. Neste ano, a Nanovetores é finalista na categoria Inovação de Impacto Socioambiental.

A lista de outras empresas que participaram dos programas da Fapesc inclui Nanoativa, Nanoscoping e Tupy, que, além de ser finalista do Prêmio Inovação Catarinense, é parceira no Programa Inova Talentos.

Conheça os finalistas catarinenses do Prêmio Nacional de Inovação

Pequenos Negócios
Nanoativa – Florianópolis
Nanoscoping – Florianópolis

Médias Empresas
Christal – Timbó
Kemia Tratamento de Efluentes – Chapecó
Nanovetores – Florianópolis

Grandes Empresas
Tupy – Joinville

Pesquisadores Inovadores
Letícia Mazzarino – Florianópolis

Ecossistemas de Inovação
Grande Porte – Ecossistema de Inovação de Florianópolis

Algumas empresas foram finalistas em mais de uma categoria (Inovação de Produto, Inovação em Processo, Inovação para Sustentabilidade, Gestão da Inovação e Destaque em Saúde e Segurança no Trabalho).

Prêmio Nacional de Inovação - A oitava edição do evento teve 3.005 inscrições, o maior número desde 2017. Dos inscritos, 56 chegaram à final. Uma novidade em 2023 é a categoria Pesquisador Inovador, que destaca profissionais com esforços notáveis em pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I). Santa Catarina também está presente nesta categoria.

O prêmio avalia não apenas projetos isolados, mas a capacidade inovadora das empresas e ecossistemas, usando critérios como originalidade, impacto e viabilidade. A cerimônia será transmitida ao vivo às 19h pelo site do Prêmio Nacional de Inovação.

Os vencedores serão beneficiados com uma imersão em ecossistemas de inovação, cursos de educação executiva do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) e cursos em Saúde e Segurança no Trabalho do Serviço Social da Indústria (Sesi).

O prêmio é promovido pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), em parceria com o Serviço de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae). É uma iniciativa da Mobilização Empresarial pela Inovação (MEI) com correalização do Sesi, Senai e do Instituto Euvaldo Lodi (IEL). Conta também com patrocínio da Financiadora de Estudos e Projetos (Finep).

 

FONTE/CRÉDITOS: ASCOM | FAPESC
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!