A informação chega primeiro aqui!

Segunda-feira, 15 de Abril de 2024

Notícias Geral

Praia Central de Balneário Camboriú está imprópria para banho

Novo relatório de balneabilidade traz 123 pontos próprios para banho no Litoral catarinense

Praia Central de Balneário Camboriú está imprópria para banho
Ricardo Wolffenbüttel/Secom
IMPRIMIR
Use este espaço apenas para a comunicação de erros nesta postagem
Máximo 600 caracteres.
enviando

O novo relatório de balneabilidade do Instituto do Meio Ambiente (IMA), divulgado nesta sexta-feira (20), apontou que dos 237 pontos analisados no Litoral, 123 estão próprios para banho, o que representa 51,9%. Na pesquisa anterior esse percentual era de 51,05% com 121 praias próprias. Os dois locais que passaram de impróprio para próprio ficam na Lagoa da Conceição, em Florianópolis, onde dos 87 pontos analisados, 43 estão adequados para os banhistas (49,43%).

Em Balneário Camboriú dos 15 pontos pesquisados 11 estão impróprios para banho. Toda a Praia Central foi considerada imprópria mais a Lagoa de Taquaras. Os pontos considerados próprios são as Praias de Laranjeiras, Taquaras, Estaleirinho e Estaleiro.

:: Confira o nono relatório de balneabilidade na íntegra aqui

O monitoramento é feito em 27 municípios litorâneos e em mais de 100 praias e balneários do Sul ao Norte de Santa Catarina, compondo as cidades de: Araranguá, Balneário Arroio do Silva, Balneário Gaivota, Balneário Camboriú, Balneário Barra do Sul, Balneário Rincão, Barra Velha, Biguaçu, Bombinhas, Florianópolis, Garopaba, Governador Celso Ramos, Imbituba, Itajaí, Itapema, Itapoá, Jaguaruna, Joinville, Laguna, Navegantes, Palhoça, Passo de Torres, Penha, Balneário Piçarras, Porto Belo, São Francisco do Sul e São José.

As placas que indicam se um ponto está próprio ou impróprio para banho são trocadas, regularmente, pelo Corpo de Bombeiros Militar, que possui uma parceria com o IMA.

Em alguns locais, a indicação Imprópria é alterada para Própria, pelo fato da sílaba IM ser retirada irregularmente. O IMA chama a atenção dos usuários para as cores da escrita, a imprópria é também sinalizada pela cor vermelha. Por isso, mesmo que alterada, a cor permanece indicando que o local não está adequado para mergulho.

Algumas vezes, a identificação de balneabilidade é pichada, o adesivo arrancado, a placa retirada do local ou até trocada de forma irregular e criminosa. Assim que toma conhecimento, o IMA vai ao local para consertar a indicação.

Devido ao fato de as placas serem danificadas, vandalizadas, queimadas e até excluídas, o IMA reforça a solicitação aos banhistas para que acessem o site: balneabilidade.ima.sc.gov.br ou o aplicativo Praia Segura para buscar a situação atualizada de cada ponto monitorado.

Atos de vandalismo e a subtração da sinalização são crimes ambientais previstos na Lei nº 9.605/98, pois omitem uma informação de utilidade pública que tem o objetivo de zelar pela saúde dos usuários.

DIVULGAÇÃO - Durante a temporada de verão, o IMA realiza as análises semanalmente. A coleta é feita pelo Corpo de Bombeiros Militar, que mantém uma parceria com o IMA desde 2019, e realiza a coleta de segunda à quarta-feira.

À medida que as análises vão sendo concluídas, o resultado do ponto é atualizado no site, processo que leva em torno de 30 horas (da coleta à divulgação de resultado). Na sexta-feira é divulgado o relatório final da semana com a avaliação de todos os pontos.

O calendário de coletas está disponível para conferência no site do IMA.

Os resultados do monitoramento são atualizados automaticamente e podem ser conferidos na íntegra no site: balneabilidade.ima.sc.gov.br e no aplicativo Praia Segura.

FONTE/CRÉDITOS: SECOM/SC
Comentários:

Veja também

Crie sua conta e confira as vantagens do Portal

Você pode ler matérias exclusivas, anunciar classificados e muito mais!