Academia de Letras do Brasil oficializa seccional em Penha

Solenidade empossou a educadora Maria Juraci Alexandrino como Imortal e Presidente da ALB Penha

A cidade de Penha passa a contar com uma nova seccional da Academia de Letras do Brasil. Na tarde de 21 de novembro o anúncio oficial foi feito durante a solenidade de posse dos novos Imortais, realizada na cidade de Ibirama.

O nome da educadora Maria Juraci Alexandrino foi oficializado como Imortal da ALB e Presidente da Seccional de Penha. A professora, que conta com vasto currículo no magistério e atualmente é vereadora no município, será responsável por organizar a seccional, identificar e reunir os escritores, além de preparar a posse dos Imortais penhenses, que deve ocorrer em março do próximo ano e vai seguir os mesmos padrões das solenidades da ALB.

Em Santa Catarina a ALB agrega aproximadamente 2100 escritores, segundo o presidente nacional, escritor Mário Carabajal. No Brasil são entre 8 e 10 mil integrantes, das mais diversas áreas ligadas a literatura. Além dos escritores, podem fazer parte da ALB educadores, jornalistas, poetas, articulistas, entre outros.

Na solenidade em Ibirama, Maria Juraci Alexandrino foi declarada como Imortal e recebeu as medalhas que oficializaram a posse como presidente. “Assumir a presidência da Academia de Letras do Brasil Seccional Penha é uma honra, por ser indicação, a partir da análise do currículo e da trajetória de trabalho, da caminhada educacional”, destaca Juraci.

Para a Imortal, há um rico acervo e muitos talentos na cidade que devem ser agregados em uma entidade como a ALB. “Penha tem muita cultura, muita história. Nossa meta é reunir essas pessoas que querem construir a coletividade e formar mentes brilhantes, pois temos pessoas muito capazes”, ressalta.

Formar leitores pensantes, com capacidade crítica para promover mudanças na sociedade são algumas das diretrizes da Academia de Letras do Brasil. De acordo com o presidente nacional, Mário Carabajal, a ALB é filosófica, é literária, mas incentiva acadêmicos a dedicarem parte das produções a um fazer crítico, de orientação, de conhecimento que possam contribuir com a sociedade.

Para a presidente da Seccional de Ibirama, escritora Apolônia Gastaldi, a Seccional de Penha vem em uma boa hora, em que são necessários estímulos ao pensar e fazer. “Todas as seccionais catarinenses têm talentos capazes de renovar as mentes”, acrescenta. “Se a produção literária estiver mais próxima de nós, teremos maior compreensão, localização do ser no tempo e no espaço e nas possibilidades de contribuição para a resolução de problemas humanos e sociais”, complementa Mário Carabajal.

A Academia de Letras do Brasil é uma entidade cultural politicamente ativa, da Ordem de Platão. O presidente nacional da ALB explica que o preceito é atuar em causas sociais através da formação de mentes pensantes. “Nos preocupamos em contribuir com o fim da corrupção, com o fim da fome e outras ações para melhorarmos a sociedade”, afirma.

A ALB atua em diversas ações, entre elas a mobilização em apoio às 10 medidas anticorrupção, de iniciativa do Ministério Público Federal. “Nesta época em que vemos muita corrupção, nossa contribuição com a sociedade é resgatar os valores morais, acreditamos que é possível modificar valores tão perdidos e por isso estimulamos a participação ativa dos nossos escritores”, destaca Mário Carabajal. “O sonho é o mesmo da época de Platão: acadêmicos bem intencionados, honestos e habilitados que contribuam na melhoria da sociedade”, acrescenta.

A presidente da Seccional Penha, professora Juraci, concorda que o estímulo a formação de novos leitores e produtores literários colabora no combate aos problemas sociais. “É preciso investir na cultura, formar leitores e leitoras, pessoas que pensam e lançam a ideia do bem”, observa.

Professora Juraci acredita que são necessários grandes investimentos na cultura, a criação da Fundação Municipal de Cultura, destaque ao terno de reis e incentivos a realização de eventos culturais, como feiras de livros, que podem se tornar novos atrativos turísticos e levar a cultura de Penha para todo o país.

SEM COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA